Salvador relaxou no isolamento e agora o lockdown é inevitável

                                                                                   Foto: Patrick Ribeiro

 

ACM Neto incumbiu o secretário Fábio Mota (Mobilidade) de fazer estudo sobre o crescimento dos casos de corona de Salvador, bairro a bairro, cruzando a evolução da Covid com dados relacionados a trânsito de veículos e pessoas nas ruas.

Resultado: o crescimento do corona está de fato relacionado com o crescente relaxamento do isolamento. Onde tem mais gente circulando, mais casos e mortos. E em mais de 50% da cidade, a cena é a mesma.

Os dados pautaram a reunião que Neto fez ontem à noite com os seus secretários que estão no time do combate à Covid. Ele olhou bem o mapa da situação, e aí decide por onde começa o lockdown, o trancamento total, único caminho.

Na suburbana — Fábio Mota cita um dado bastante indicativo do relaxamento: no início da pandemia o tráfego na Suburbana era 50% do normal. Hoje é de 87%.

– Isso quer dizer que os shoppings estão fechados, as escolas, as universidades, o comércio, mas o povo está indo para as ruas.

Ele diz que passou três dias cruzando dados. Depois foi um a um conferir pessoalmente a situação.

– O fato constatado e provado é que para grande parte da população em toda a cidade o isolamento não existe.

O cenário é igual em locais como Cajazeiras, Boca do Rio, São Tomé de Paripe e a Pituba, o bairro campeão, cuja orla nos fins de semana é de intenso movimento. Neto vai tentar dosar o lockdown, mas… As informações são do jornal A Tarde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.