MPF pede à Justiça afastamento do ministro do Meio Ambiente

                                                                              Foto: Fábio Pozzebom

 

O Ministério Público Federal (MPF) solicitou à Justiça o afastamento e Ricardo Salles do Ministério do Meio Ambiente. A suspeita é de práticas de improbidade administrativa. Na ação, os procuradores da primeira instância do órgão argumentam que o ministro suspendeu a fiscalização ambiental e desestruturou políticas públicas da área, na contramão do interesse público. Por meio de nota, Salles disse que a ação tem “viés político-ideológico”.

A ação corre na primeira instância, uma vez que casos de improbidade administrativa não dão direito a foro privilegiado, e é assinada por 12 procuradores da Procuradoria da República no Distrito Federal (PR-DF). No documento, o MPF cita o vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril, como uma prova de que o ministro atuou com intenção de tomar medidas contrárias à proteção ambiental e promover um “desmonte” na área.

Os procuradores citam quatro conjunto de ações realizadas por Salles que prejudicaram o meio ambiente. A primeira delas, a publicação de decretos que desprotegeram florestas e áreas de meio ambiente. A segunda, a desestruturação dos órgãos de debate ambiental com a sociedade civil. A terceira, cortes orçamentários. Por fim, o “desmonte da fiscalização ambiental”. A ação destaca que houve crescimento no desmatamento durante a gestão Salles e aponta projeções de que o ano de 2020 terá mais uma alta histórica. As informações são do jornal A Tarde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.