Candidatos a prefeito de Salvador lamentam cancelamento de debate

                                                                                      Foto: Reprodução

 

O aviso de cancelamento nesta terça-feira, 6, do debate do primeiro turno que seria realizado no dia 8 de novembro pela Record BA pegou de surpresa os candidatos à prefeitura de Salvador que lamentaram a decisão da emissora e citaram o impacto que trará para a corrida eleitoral e para democracia. A TV Bahia, afiliada a Rede Globo, enviou nota para os candidatos sinalizando que também poderá cancelar o debate marcado para o dia 12 de novembro por questões sanitárias.

Através de uma nota enviada às assessorias de comunicação dos candidatos a Record BA informou que, depois de “consultar uma comissão de médicos e de técnicos em medicina do trabalho”, a “emissora entendeu que não há condições de promover o encontro com segurança”.

“O número elevado de candidatos, a presença de assessores políticos (mesmo que limitados a 2 por candidato) e o essencial trabalho dos profissionais da emissora tornariam impossível seguir os protocolos sanitários recomendados pelos médicos. E transformariam o evento em um potencial foco de infecção do novo Coronavírus”, justificou, em nota, a emissora baiana.

Em nota, a coordenação da campanha da candidata do Partido dos Trabalhadores ao pleito em Salvador, Major Denice Santiago (PT), lamentou decisão. “A Major Denice acredita que o cancelamento de debates é um prejuízo para o processo eleitoral, pois impede a comparação, pela população, das propostas dos candidatos que colocam-se à disposição para governar Salvador”, diz o texto enviado à imprensa.

A comunicação da Major Denice Santiago citou o debate da Rede Band para rebater alegação de risco sanitário. “A candidata acredita que é preciso manter todas as regras sanitárias devido à Covid-19, contudo também aponta que existem formas e protocolos definidos para garantia da segurança das pessoas, a exemplo das medidas que foram seguidas pela TV Band”.

Em um tom de aceitação, o deputado federal Pastor Sargento Isidório (Avante), candidato a prefeito de Salvador, informou via assessoria de comunicação que “apresenta seus respeitos à soberana decisão da douta emissora de TV citada”.

Críticas

O candidato do Podemos à Prefeitura de Salvador, o deputado federal Bacelar (PODE), lamentou decisão da Record BA que classificou como uma manobra para beneficiar “determinados candidatos”, o parlamentar prometeu pautar esse tipo de conduta na Câmara Federal.

“Estas manobras estão se tornando comuns para beneficiar determinados candidatos. O que é inadmissível. Assim que acabar o processo eleitoral, vou levar este assunto ao Congresso Nacional. O parlamento precisa analisar a conduta das emissoras de TVs, que são concessões públicas” sinalizou Bacelar.

O candidato do Podemos definiu o debate televisivo como “essencial para construção da democracia”. Bacelar destacou que ele serve para “apresentação de propostas, planos de governo, soluções e o confronto entre os candidatos”, sendo assim a “forma mais transparente para o eleitor definir seu candidato”.

Em um tom mais crítico, a candidata a prefeita pelo Partido Comunista do Brasil, Olívia Santana (PCdoB), disse que decisão de cancelamento atende a interesses políticos. “Só quem ganha com o cancelamento é o candidato do atual prefeito, ACM Neto, que de fato não tem nenhuma condição de enfrentar seus adversários. Eu fiquei surpresa e estava preparada para mais uma oportunidade de apresentar minhas propostas para melhorar Salvador”, declarou Santana.

A deputada citou também o debate na Band para rebate alegações de falta de segurança sanitária para realização do debate pela Record BA. “A TV Band realizou o debate seguindo os protocolos e regras sanitárias recomendadas pela OMS”.

Olívia avaliou como “fundamental que a população tenha direito de assistir aos debates na TV aberta” para “que de fato possa conhecer as propostas de cada candidata e candidato”. E cobrou que emissoras de TV atuem para “preservar o direito à democracia de todas as cidadãs e de todos os cidadãos de Salvador”.

Possibilidades

Para o Doutor em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Professor de Ciência Política da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), Cláudio André, a ausência de debate eleitoral em TV aberta impacta o eleitorado, principalmente os indecisos. Ele destaca que é no debate que ocorre o “confronto de ideias, de propostas e dos programas de governo dos candidatos e candidatas”.

O professor da Unilab lamenta que a Record Bahia não tenha oferecido como alternativa outros formatos em que o debate poderia ser realizado e sugere que receio de contaminação pelo novo coronavírus poderia ser mitigado com testagem para Covid-19 realizado em candidatos antes do evento.

“O que me parece que pode ser levado em consideração e que pode ser levar a uma reconsideração pelas emissora, Talvez, seja pensar num formato sem contato. Esse formato pode ser, por exemplo, via digital, via Live, na montagem com cada um em sua casa e, aí, tendo confronto direto entre os candidatos dessa forma. Um formato interativo e online que permitiria ser transmitido pelas TVs”, sugeriu André.

A reportagem de A TARDE entrou em contato com as assessorias dos outros candidatos mas até o fechamento desta edição não obteve resposta. As informações são do jornal A Tarde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.