Câmara aprova todas as matérias da Ordem do Dia

camara

A Câmara Municipal de Salvador aprovou na tarde desta terça-feira (16), na 44ª Sessão Ordinária da 19ª Legislatura, conforme acordo das bancadas do governo, oposição e partido independente, projetos de lei, de resolução e de indicação. Ainda na sessão conduzida pelo presidente da Casa, vereador Geraldo Júnior (MDB), foram aprovados requerimentos e moções.

Além de votar todas as matérias da Ordem do Dia, limpando a pauta, os vereadores Leandro Guerrilha (PL), Claudio Tinoco (DEM), Téo Senna (PSDB), Augusto Vasconcelos (PCdoB) e Sílvio Humberto (PSB) fizeram pronunciamentos no Pinga-Fogo sobre temas diversos.

Os vereadores trataram da situação dos blocos de matriz africana, do ato racista de dois turistas contra uma baiana de acarajé, da realização, ou não, do Carnaval, do artigo do arquiteto Paulo Ormindo sobre a construção da ponte Salvador-Itaparica e dos quatro anos da Reforma Trabalhista.

Na votação do Projeto de Lei nº 245/19, de autoria do vereador Alexandre Aleluia (DEM), que trata da denominação de um logradouro público de Salvador com o nome Rua Bernardo Pereira de Vasconcelos, a bancada de oposição votou contra a matéria.

Primeiro a falar no Pinga-Fogo, pelo governo, o vereador Leandro Guerrilha destacou a aprovação do Requerimento nº 209/21, de sua autoria, sobre a realização de uma sessão especial para debater a situação dos blocos de matriz africana. Ainda em seu pronunciamento, repudiou a postura racista de dois turistas que discriminaram uma baiana de acarajé no Pelourinho.

O colega Claudio Tinoco enalteceu o colegiado da Câmara, “que vem pautando temas de interesse da sociedade”. Ele destacou ainda a realização de uma reunião, nesta quarta-feira (17), da Comissão do Carnaval, para tratar da realização, ou não, da festa de momo em 2022.

Já o vereador Téo Senna leu um artigo do arquiteto Paulo Ormindo em que lança dúvidas e interrogações sobre o “sutil contrato para a construção da ponte Salvador-Itaparica”. Nas palavras lidas pelo parlamentar, “o contrato é leonino”. O parlamentar defendeu ainda uma investigação da Câmara sobre a construção da ponte.

No tempo dedicado à oposição, o vereador Augusto Vasconcelos criticou a Reforma Trabalhista que estava completando, neste mês, quatro anos. Na avaliação do parlamentar, os sindicatos foram prejudicados e os trabalhadores perderam direitos e proteção.

O vereador Sílvio Humberto defendeu o equilíbrio na decisão sobre a realização, ou não, do Carnaval de Salvador. “Uma certa precipitação vai custar vidas”, destacou. Ele também repudiou a postura racista de dois turistas que ofenderam uma baiana de acarajé. 

O vereador Alexandre Marques (Patriota), do município de Lauro de Freitas, acompanhou das galerias do Plenário Cosme de Farias a sessão ordinária. O parlamentar do município vizinho a Salvador foi saudado pelo presidente Geraldo Júnior e convidado para sentar à mesa de trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.