Secretário de Saúde revela preocupação com reflexos da fase 2 de reabertura em Salvador

                                                                        Foto: Jefferson Peixoto/Secom/PMS

 

Uma semana após a reabertura de bares, restaurantes e academias em Salvador, como parte da fase 2 de retomada das atividades, o secretário municipal de Saúde, Leo Prates, se disse atento e “preocupado” com os possíveis reflexos. Em entrevista a José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (17), Prates afirmou que os números atuais da capital em relação à pandemia de Covid-19 são positivos, mas a semana que se inicia é “crítica e decisiva” para analisar os efeitos da reabertura.

“Na semana passada fechamos com leve alta na média móvel de novos casos, porém há uma estabilização da média móvel de óbitos, ou um recuo, e a ocupação dos leitos de UTI está baixa. São dados positivos, mas eu diria que essa é uma semana crítica e decisiva, pra nós acompanharmos realmente essa reabertura. É natural que em um primeiro momento você tenha uma leve elevação, como nós acompanhamos. Agora, ela precisa estabilizar, e é isso que precisamos acompanhar essa semana”, explicou.

Questionado por José Eduardo sobre as aglomerações causadas por “paredões” em bairros periféricos, Prates avaliou que essas situações não devem ser vistas isoladamente. “Eu diria que o que traz todo esse problema é o conjunto, a somatória. Há um indicativo de atenção, mas nenhum alarme. Agora, é preciso atenção das pessoas. Vimos aglomerações na porta de alguns bares, e a gente precisa que as pessoas entendam que é necessária a participação de todos para que não haja retrocessos”, afirmou.

Na manhã desta segunda, a taxa de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 estava em 56%, segundo dados da prefeitura. As  informações são do Metro1.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.