Salvador ultrapassa marca de 1,5 milhão de pessoas vacinadas contra Covid-19

Foto: Betto Júnior

 

 

A capital baiana ultrapassou, na manhã deste sábado (7), a marca de 1,5 milhão de pessoas vacinadas com a primeira dose ou dose única contra a Covid-19, o que representa cerca de 75% da população da cidade elegível para a estratégia.

De acordo com o Vacinômetro, portal criado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) que aponta indicadores de imunização, 2,1 milhões de doses já foram aplicadas (entre primeira, segunda e dose única), e 680 mil cidadãos já estão imunizados, ou seja, 33% da população de Salvador já completou o ciclo vacinal contra o coronavírus.

Através das redes sociais, o prefeito Bruno Reis destacou a marca alcançada pela capital baiana, ressaltando que a imunização dos cidadãos sempre foi um compromisso da Prefeitura. “Vamos continuar trabalhando dia e noite até que todo o público-alvo esteja imunizado”, declarou.

O chefe do Executivo municipal ainda aproveitou para chamar a atenção de todos para a importância da vacina, incluindo a dose de reforço. “Bora vacinar, galera! Prepara o braço aí e não se esqueçam da segunda dose!”

O titular da SMS, Léo Prates, destacou a continuação do trabalho para vacinar toda população da capital baiana. “Esse é um número expressivo para nossa cidade, mostra a eficiência que ganhou Salvador, na atual gestão, na vacinação contra a Covid. Mas, ainda não acabou. Continuaremos trabalhando até que o último soteropolitano, elegível para a estratégia, esteja vacinado. Então, o trabalho prossegue intensamente para que esse número cresça mais e mais, porque quanto mais vacinados, mais segurança para nossa cidade”, disse.

O avanço na vacinação reflete na vida dos soteropolitanos que, hoje, já sentem os efeitos positivos da vacina, com a redução do número de leitos ocupados com pacientes vítimas da Covid-19 – neste sábado, Salvador apresenta 43% de ocupação dos leitos de UTI. A enfermeira Tatiana Sobrinha, de 37 anos, que atua no combate à pandemia, desde 2020, se emociona ao relatar dias difíceis na unidade em que trabalha.

“Passamos por dias complicados, exaustivos, vi muita gente morrendo, não foi fácil. Houve um esgotamento físico e psicológico de toda equipe, mas hoje, apesar de sabermos que não acabou, sentimos o alívio da redução dos casos e é claro que isso é reflexo da vacina”, disse.

Para os idosos, o imunizante foi sinônimo de alegria. A aposentada Gildete Oliveira, de 70 anos, relembrou que, antes de receber o imunizante, não tinha contato com os familiares. “Foi muito doloroso, senti tanta saudade dos meus filhos, meus netos, acho que foi o momento mais difícil da minha vida. Mas, graças a Deus e à ciência, está passando.”

Entre os soteropolitanos que finalizaram a imunização contra Covid-19, o sentimento que predomina é o alívio. Com hipertensão severa, o motorista por aplicativo Edmilson Souza, de 48 anos, falou sobre a tranquilidade de estar imunizado. “Não podia parar de trabalhar, minha família depende de mim, mas ao mesmo tempo, tinha medo do contágio, da morte. Só quando tomei a segunda dose da vacina, me senti seguro e pude realizar a minha função em paz”, afirmou.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.