Número de bairros de Salvador com casos de Covid-19 passa de 130

                                                                                 Foto: Reginaldo Ipê 

 

Antes considerada ‘doença de rico’, uma vez que os primeiros casos registrados, no Brasil e na Bahia, foram trazidas por pessoas que estavam nos continentes europeu e norte-americano, ainda nos meses de fevereiro e março, o novo coronavírus já se alastrou por diversas regiões da capital baiana, sem fazer qualquer distinção se estas fazem parte de área nobre ou uma localidade mais popular. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o número de bairros afetados, até agora, é de 130.

Dos pouco mais de 2.740 casos confirmados até a noite da última quarta-feira, pelo órgão, o bairro da Pituba, local considerado nobre da cidade, é quem possuía o maior número de registros positivos, com 72 infectados pela doença (e 34 recuperados). Em seguida, aparece o bairro de Brotas – incluindo aí a região do Horto Florestal, de classe A – com 53 registros (desses, 30 recuperados). Em terceiro vem Patamares, com 38 (e 37 recuperados). Por lá, há o loteamento Greenvile, além de a região estar próxima a outros condomínios nobres da cidade.

Por outro lado, os bairros periféricos e mais populosos também ocupam o espaço deles nesta triste estatística. Conforme a SMS, o bairro do Uruguai, na Cidade Baixa, é um dos mais infectados, com 27 casos. Plataforma, no Subúrbio Ferroviário, tinha 23. A Liberdade, de forte comércio popular, possuía 26 registros positivos de Covid-19. O Engenho Velho de Brotas, 25. O Bonfim, 34. Cajazeiras – englobando o bairro da Fazenda Grande – tinha 35.

Com relação a quantidade de pacientes recuperados, o órgão aponta que são 543 pessoas as curadas do novo coronavírus, na capital baiana, o que equivale a 19,78% do total de registros positivos da doença, até a noite da última quarta-feira (2.745). Pituba (34), Brotas (30), Patamares (27), Federação (21) e Imbuí (17) são os cinco bairros de Salvador com o maior número de pacientes que se recuperaram da Covid-19.

TIPO

Ainda conforme o levantamento do órgão municipal, a maior parte das pessoas infectadas pelos vírus é de mulheres: 1.625 ou 59,2% do total de registros. Já os homens fazem parte dos 40,8% restantes – ou 1.120 casos confirmados até agora. Quanto a forma de transmissão, excetuando àqueles que ainda estão sob investigação (1.576), a maior parte ocorreu pela forma comunitária, com 664 registros (56,8% do geral), seguida da ‘local’, com 436 (37,3%) e da forma importada com 69 casos confirmados pela secretaria de saúde da capital baiana (5,9%). Os três sintomas mais comuns por parte daqueles que buscaram as unidades de saúde são tosse, febre e dor de cabeça.

Com relação ao número de mortes, a SMS não divulga a relação por bairro, tampouco a quantidade total. Por outro lado, conforme a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), em boletim divulgado na manhã de ontem, Salvador tinha 98 mortes confirmadas, aproximadamente 61% do total registrado em toda a Bahia: 161. As informações são do jornal Tribuna da Bahia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.