Lupi admite que PDT “reivindica” vice na chapa de Bruno Reis

                                                                                    Foto: Alex Ferreira

 

Depois de se reunir com o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), nesta semana, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, admitiu, em entrevista à Tribuna, que o seu partido “reivindica” a vaga de vice-prefeito na chapa encabeçada por Bruno Reis (DEM). A definição, no entanto, segundo ele, só deve ocorrer no final agosto e início de setembro.

Ele desembarcou na última terça-feira na capital baiana para se reunir com ACM Neto e discutir sobre as eleições. “Foi uma reunião muito boa com Neto, Bruno… Também tivemos reuniões com a Executiva municipal (do PDT) e alguns pré-candidatos. Estamos avançando, mas tem claro todo um processo de discussão interna. Estamos caminhando muito bem”, declarou à reportagem. “Estamos reivindicando isso (a vice na chapa), mas ainda não temos um nome fechado. Neto tem que conversar com os outros aliados. Eu acho deve definir final deste mês e início de setembro”, acrescentou.

Embora a ex-secretária municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), Ana Paula Matos seja favorita para ser indicada a vice, Lupi afirmou que há outros nomes. Segundo apurou a Tribuna com interlocutores da sigla, outras duas mulheres são cotadas: Adielma Nizarala (infectologista chefe da Secretaria de Saúde) e Meirejane Lima (do movimento cultural). “Estamos nos concentrando nas mulheres para contrabalancear, e estamos conversando para ver o nome”, pontuou Lupi.

Sobre a relação com o governo Rui Costa (PT), Lupi afirmou que conversou, por telefone, com o governador e o senador Jaques Wagner (PT). Segundo ele, ambos foram comunicados que o PDT está “avançado no apoio a Bruno”. De acordo com o presidente do PDT, os líderes petistas “insistiram” para que os pedetistas apoiarem candidatos governistas. “Mas Neto nos colocou a perspectiva de dar a vice e precisamos eleger vereador. Então, a possibilidade de apoio a Bruno é grande”, salientou Lupi.

Nos bastidores, o comentário é de que o PDT pode ser retaliado, caso decida apoiar o grupo democrata. Especula-se que o partido pode perder a Secretaria da Agricultura no governo petista, que seria concedida para o PL. Diante desse cenário, deputados pedetistas temem perder os postos na gestão estadual, e avaliam até deixar a legenda se a ameaça do Palácio de Ondina se concretizar. Nos corredores da política, comenta-se que Rui teria mostrado o desejo que o PDT tenha postulante próprio para não apoiar o DEM na disputa eleitoral.

No entanto, a chance é considerada remota. Isto porque o presidente do PDT na Bahia, Félix Mendonça Júnior, seria hoje o único nome com viabilidade para entrar na corrida eleitoral. Só que o deputado federal já admitiu que não tem ânimo para brigar eleitoralmente uma vez que seu pai, o ex-deputado Félix Mendonça, morreu recentemente vítima do coronavírus. “Com os últimos fatos familiares, é como ir para uma festa após um acontecimento. O meu pai era o meu guia político. Então, isso daí muda o destino de uma pessoa”, declarou. Para ter a apoio do PDT no pleito, ACM Neto, além de conceder espaços na prefeitura para a legenda, tem feito afagos a Félix Júnior. Recentemente, homenageou o pai do deputado ao batizar o Complexo Viário do BRT com o nome de Félix Mendonça. Neto, que é presidente nacional do DEM, também já mostrou interesse em construir uma aliança entre sua sigla e o PDT em outras capitais do país. As informações são do jornal Tribuna da Bahia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.