João Roma só aceita reconciliação com Neto se houver apoio a Bolsonaro

joaoroma

O ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), não descartou a possibilidade de uma reconciliação com ACM Neto (União Brasil), seu ex-aliado. Roma apontou que não tem motivos para não existir um diálogo entre eles, mas que para isso, o ex-prefeito de Salvador precisa aceitar apoiar a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL).

“Eu sou deputado federal licenciado, mantenho um excelente diálogo com todos do mundo político, mas a questão com o ACM Neto é que não há diálogo realmente desde o último dia 12 de fevereiro. Mas também não é impeditivo. É possível ter. Mas é possível também ter clareza nos projetos. Eu estou no projeto que dará suporte à reeleição do presidente Bolsonaro. Ele aceita Bolsonaro no palanque? Então, se não há intuito dele em se aproximar do presidente Bolsonaro, não temos equação política”, disse Roma, em entrevista à Tribuna da Bahia.

João Roma deve ser um dos ministros de Bolsonaro a se candidatar ao governo dos estados nas eleições do ano que vem. Se for candidato na Bahia, ele deve disputar a cadeira no Palácio de Ondina contra ACM Neto e Jaques Wagner (PT).

“Estamos ainda de maneira embrionária buscando essa composição, que envolve aí Republicanos, PL. O PP ainda não, nesse momento, uma vez que o PP tem uma nuance específica no estado. Então, o que está se colocando hoje, portanto, é uma movimentação em torno de uma possível candidatura minha ao governo do estado da Bahia, que já vem sendo noticiada”, explicou à Tribuna, sobre os partidos que apoiam Bolsonaro e possíveis alianças nos estados.

As informações são do A Tarde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.