Felipe D’Avila diz “populismo” prometeu fim da desigualdade e colocou o Brasil na miséria

davila

O pré-candidato à Presidência da República pelo Partido Novo, Felipe D’Avila, disse em entrevista na Rádio Metrópole que o país precisa parar de se “iludir com o populismo”.

“Precisamos acabar de ter fé no autoengano do populismo que prometeu fim da desigualdade e colocou o país na miséria, prometeu crescimento econômico e trouxe recessão. Prometeu melhorar o país e piorou. Precisamos começar a mudar isso”.

Questionado por Kertész que a polarização que divide o país politicamente, D’Avila disse que o Brasil precisa conversar consigo mesmo. “O jeito de começar a reconstruir o Brasil é pelo diálogo e políticas públicas importantes. Se temos um bom programa de distribuição de renda como o Bolsa Família, vamos aprimorar ele. Dar crédito a quem começou. Isso é um gesto de grandeza. E precisamos de gestos de grandeza na política”, completou.

D’Avila também disse que “o Brasil precisa aprender mais com o Brasil que dá certo”. “Temos um Brasil que dá certo. Que tem boas iniciativas, que tem bons projetos. Mas isso precisa ser valorizado. Temos que tirar o terreno do populismo, que é um modelo de hegemonia. A política precisa sentar e conversar com as pessoas. Só conversando a gente consegue isso”.

Felipe D’Avila defendeu que o Brasil abra sua economia e disse que o país tem hoje “a terceira economia mais fechada do mundo”. “Os produtos no Brasil são muito caros. Porque tem reserva de mercado e não tem competição. O Brasil está fora da competição global e o Brasil fica fechado. O mundo cresce 30% ao ano e o Brasil fica fechado, cresce 2%”, disse.

Metro 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.