Com ausência de Bruno Reis, candidatos atacam líder nas pesquisas em último debate eleitoral

                                                                                      Foto: Divulgação

 

A menos de duas semanas das eleições municipais, a Associação Bahiana de Imprensa (ABI) realizou, ontem (4), o último debate entre os candidatos à prefeitura de Salvador. O evento, que foi em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil/Seção Bahia (OAB-BA) e aconteceu no auditório Samuel Celestino, edifício-sede da ABI, só não teve a presença de Bruno Reis (DEM), postulante líder nas pesquisas, que alegou conflito na agenda.

Com a ausência do democrata, os outros postulantes dedicaram o tempo em atacá-lo, chamando-o de “fujão” e de “covarde”. “O candidato do prefeito fugiu do debate. É a ‘fuga das galinhas’. Não existe nenhum compromisso mais importante que esse”, disse Cezar Leite (PRTB). Já Hilton Coelho (PSOL) disse que o candidato mentiu e mandou um recado. “Que covardia. Ainda dá tempo. Está morrendo de medo. Venha para o debate. Fujão e mentiroso”, disparou.

Candidata do PT ao Palácio Thomé de Souza, Major Denice foi a única que lembrou do caso Mariana Ferrer, que foi estuprada em dezembro de 2018, durante uma festa em um beach club de Florianópolis, e teve o abusador absolvido pela Justiça. “Que a mulher nunca seja culpada pela violêcia que foi cometida”, disse.

Isidório (Avante) foi questionado pela representante do Grupo Metrópole, a comentarista e professora Malu Fontes, sobre a realidade tributária da cidade, do orçamento do Município, e de qual foi o impacto da pandemia na administração municipal. “Não sou obrigado a saber de tudo, saber das verbas. Ninguém tem obrigação de ser computador”, justificou. Na ocasião, Isidório só respondeu sobre o orçamento: segundo ele, é de R$ 8 bilhões.

Celsinho Contrim (Pros) e Isidório anunciaram que vão criar a Secretaria Municipal de Segurança Pública. Isidório disse, inclusive, que não pode ser obrigação do Estado esta área. Já Cotrim anunciou Capitão Tadeu como secretário da pasta, se for eleito.

Olívia (PCdoB) e Rodrigo Pereira tiveram um embate mais quente. Após acusações do candidato pelo PCO, de que ela estava se aliando a pessoas “golpistas”, como o PP, a comunista lembrou que Rodrigo havia elogiado o ex-presidente Luia Inácio Lula da Silva, que governou, segundo ela, com ajuda de diversos partidos, não só de esquerda. “Lula contou com leque de forças aliadas. A esquerda sozinha não consegue se eleger”, justificou.

O evento homenageou o jornalista Samuel Celestino, ex-presidente da Diretoria Executiva e da Assembleia-geral da instituição. O debate teve duas rodadas de perguntas feitas por jornalistas. As informações são do Metro1.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.