Bolsonaristas se preparam para campanha em Salvador

                                                                                     Foto: Fernanda Chagas

 

Salvador contará com pelo menos uma candidatura bolsonarista na eleição municipal de 2020: a do vereador Cezar Leite, presidente municipal do PRTB. O edil, alçado pelo Movimento Brasil Livre (MBL), vê a chapa como uma possibilidade de se viabilizar para um possível mandato federal mais a frente, em 2022.

O soteropolitano deve contar com o apoio do vice-presidente Hamilton Mourão, do mesmo partido. A informação foi confirmada pelo vice-presidente da legenda na capital baiana, Leandro de Jesus. “Está confirmada a participação e apoio direto do vice-presidente para o projeto PRTB na capital baiana, as agendas serão alinhadas para esta finalidade”, declarou o advogado, que também é pré-candidato a vereador na capital, à Tribuna.

Como o Aliança pelo Brasil não ficou pronto em tempo para disputar as eleições 2020, o PRTB se tornou o caminho natural da direita baiana. A chapa quer atrair os votos do eleitorado do presidente Jair Bolsonaro. A presença de Mourão em Salvador, no entanto, é incerta. No início do ano, quando ainda estava no PRTB, Celsinho Cotrim – que saiu brigado da legenda e migrou para o Pros – afirmou no início do ano que o vice-presidente não iria subir ao palanque no Brasil, dando apoios apenas através de declarações na imprensa e vídeos gravados com candidatos.

Sobre o candidato ou candidata que será vice de Cezar Leite, segundo a legenda, três nomes estão fortes e avançaram até aqui. “Qualquer uma delas que for a opção escolhida com certeza vai compor muito bem, são pessoas com características e perfis de destaque. Em breve Cezar vai apresentar ao público, a definição está bem próxima”, avalia Leandro. O partido também não fará coligações na capital. “Disputaremos as eleições em Salvador com chapa pura, o caminho da verdadeira renovação”.

Nesta semana, Bolsonaro afirmou que está “tudo tranquilo” na formação do Aliança pelo Brasil, partido que ele tenta criar, mas admitiu que pensa em uma alternativa caso a legenda não fique pronta até as eleições presidenciais de 2022. Inicialmente, havia a expectativa de que a agremiação estivesse pronta para as eleições municipais deste ano, mas isso não foi possível.

“Estamos preparando para 22. Tudo tranquilo, vai sair o partido. Lógico que sempre tem uma alternativa caso dê errado, mas vai ser bem diferente de 2018. Pode acreditar na democracia, que nós vamos mudar o Brasil com as armas da democracia”, disse Bolsonaro a apoiadores no Palácio da Alvorada. As informações são do jornal Tribuna da Bahia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.