Bahia rende homenagens por 1 ano de canonização de Santa Dulce dos Pobres

                                                                              Foto: Romildo de Jesus

 

Uma missa solene presidida pelo reitor do Santuário Santa Dulce dos Pobres, frei Giovanni Messias foi o ápice das comemorações do primeiro ano de Canonização da freira. A celebração teve número limitado de fieis, para respeitar as medidas de distanciamento social devido a pandemia do coronavírus. De máscaras todos os presentes higienizavam as mãos com álcool gel 70% e mediam a temperatura antes de entrar na Igreja. Alguns devotos preferiram acompanhar do lado de fora.

A missa foi realizada ontem, 13 de outubro, às 8h30 no Santuário da Santa, na cidade baixa, em Salvador e teve transmissão pelas redes sociais, o número de fieis foi limitado a 30% da capacidade, da Igreja, que é de 1200 pessoas, para respeitar as medidas de distanciamento social. Dentro do Santuário, apenas 360 devotos puderam acompanhar a celebração. Todos ficaram distanciados um dos outros, seguindo as marcações que foram colocadas nos bancos da igreja e no chão, ” rezamos em ação de graças por essa canonização”, disse frei Giovanni Messias.

Outros religiosos, que também atendem no Santuário subiram ao altar: Frei Mário e Frei João Paulo. “No ano passado, não passou pela cabeça de ninguém o que viveríamos em 2020. Era necessário que ela fosse canonizada em 2019, pois esse país precisava do exemplo de Santa Dulce para viver essa pandemia com fé, esperança e caridade. Se há algo que marcou positivamente essa pandemia foi a força de Santa Dulce. Se ela conseguiu passar a sua vida junto aos mais pobres e doentes, nós conseguiremos também”, disse o frei João Paulo.

Outro ponto lembrado durante a missa por frei João Paulo foi que, “ as Obras Sociais Irmã Dulce possuem um espaço de estudo que está ajudando a desenvolver uma vacina para a covid-19. Temos um centro de pesquisa, um centro de esperança. Aqui está sendo feito todo um protocolo de estudo para desenvolvimento de uma vacina. E nós acreditamos que um dia voltaremos à aglomeração do amor e venceremos essa pandemia.”

O casal Eunice Marchese e o marido Ivanir renderam homenagens a Santa e agradeceram por superar as enfermidades que quase levaram suas vidas final do ano passado, “só acompanhamos. Agradecer pelas fitinhas, que nos agarramos e se tornaram nossa proteção e única salvação em certo ponto das nossas doenças. Atravessamos os problemas e temos esta terra como mágica e abençoada. Temos mais de 80 anos e só temos a agradecer. Queria ir até a igreja, mas com a pandemia , idade e comorbidades, o jeito foi acompanhar pelas redes sociais.

No dia 13 de outubro de 2019, Irmã Dulce foi elevada à honra dos altares, em uma emocionante celebração presidida pelo Papa Francisco, no Vaticano, passando a ser conhecida em todo o mundo como Santa Dulce dos Pobres. No dia 14 de outubro foi realizada a primeira missa em honra da santa, na Igreja Sant’Andrea della Valle, localizada na praça Vidoni, em Roma. Já no dia 20 de outubro, em Salvador, aconteceu a primeira celebração no Brasil pela Canonização de Irmã Dulce, na Arena Fonte Nova, evento que reuniu mais de 50 mil pessoas.

Além da Missa Solene, a agenda festiva, que prossegue até dia 18, inclui ainda outras missas; Oração dos 13 Mistérios da Vida de Santa Dulce; Terço em honra a Santa Dulce dos Pobres e Bênção do Santíssimo Sacramento, além de exibição de curta-metragem e de programas sobre o legado de amor e serviço da Mãe dos Pobres.

Toda a programação da festa está sendo transmitida pelos canais do Santuário nas redes sociais: Instagram e Facebook (@santuariosantadulce) e YouTube (santuariosantadulcedospobres). O Santuário Santa Dulce dos Pobres recebe o público para as celebrações da festa em quantidade reduzida, mediante agendamento prévio. O cadastro para participar de forma presencial deve ser feito pelo telefone (71) 3310-1394. As informações são do jornal Tribuna da Bahia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.