‘Cada um responde pelas suas atitudes’, diz ACM Neto

                                                                              Foto: Romildo de Jesus

 

O prefeito ACM Neto (DEM) desejou ontem rápida recuperação para o aliado Jair Bolsonaro (sem partido), em coletiva de imprensa durante a inauguração das câmeras de medição de temperatura na Estação da Lapa.

Questionado sobre a conduta do presidente, que tirou a máscara ao fim de uma entrevista presencial com jornalistas para mostrar o semblante que estava “bem”, o democrata se posicionou. O presidente nacional do DEM disse que torce para o “pronto reestabelecimento” de Bolsonaro.

Neto lembrou, todavia, que sempre teve o cuidado de nunca tirar a máscara de proteção em contato com os jornalistas e segue os protocolos de distanciamento social. “Cada um responde pelas suas atitudes. Veja, eu que até hoje não peguei o coronavírus, e espero não pegar, nunca cheguei perto de vocês, mesmo estando saudável, e tirei a máscara. Pelo contrário. À medida que o tempo foi passando, que a doença foi se tonando mais grave, fomos adotando cada vez mais cuidado. Distanciamento, evitar aglomeração e etc. Cada um tem a sua postura, cada líder entende, da sua forma, como deve dar o exemplo”, assegurou.

Neto lembrou que, quando um assessor do seu gabinete testou positivo para Covid-19, se isolou e passou a trabalhar afastado até ter o resultado do exame. “Se eu pegar o coronavírus, eu vou ficar em casa. Fazendo o isolamento e trabalhando em casa, que é o procedimento recomendado pelos médicos. Mas não me cabe aqui ficar fazendo juízo de valor”, concluiu. A ABI Associação Brasileira de Imprensa (ABI) divulgou nota em que chamou a atitude de Bolsonaro de “criminosa”. “Não é possível que o país assista sem reação a sucessivos comportamentos que vão além da irresponsabilidade e configuram claros crimes contra a saúde pública”, diz a nota, assinada pelo presidente da ABI, Paulo Jerônimo.

Neto também classificou como uma “irresponsabilidade” anunciar de forma antecipada o retorno das aulas no estado de São Paulo para setembro. Foi uma crítica igualmente velada ao aliado João Dória (PSDB). “Acho que é uma irresponsabilidade esse nível de antecipação”, opinou. O atual gestor da capital baiana lembrou que a decisão do governo paulista foi anunciada em junho. Segundo ele, o plano de retorno das aulas em Salvador já está pronto, no entanto, antecipar a sua divulgação pode gerar uma sensação de normalidade na cidade em meio à pandemia do novo coronavírus, o que é perigoso na sua avaliação. As informações são do jornal Tribuna da Bahia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.