Roberto Jefferson é preso e está na mira da CPI por elo com instituto suspeito de financiar fake news

                                                                           Foto: Reprodução                                                                                                                                                                                                                                                              

 

 

O ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), preso nesta sexta (13) por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF), está na mira da CPI da Covid também pelo elo que tem com o Instituto Força Brasil.

A organização é investigada por participar das negociações da empresa Davati com o Ministério da Saúde para a venda da Covaxin, que envolveu pedido de propina.

Em outra ponta, o instituto é investigado sob a suspeita de financiar sites bolsonaristas que divulgam fake news sobre a epidemia da Covid-19. As páginas promovem ainda ataques à própria CPI.

Em um relatório interno da comissão, Jefferson é apontado como o suporte político do grupo. Presidente do PTB e apoiador de Jair Bolsonaro, ele deu ao vice-presidente do IFB, Otávio Fakhoury, a presidência da legenda em São Paulo.

“O PTB virou a nova casa de bolsonaristas. Idealizada por Roberto Jefferson, a guinada conservadora foi consagrada com a chegada do empresário Otávio Fakhoury ao diretório paulista da sigla. Ele entra para o PTB com a missão de limpar o partido e deixá-lo pronto para a chegada de nomes ligados ao presidente Jair Bolsonaro”, anunciou o programa da rádio Jovem Pan que transmite semanalmente a live do presidente.

Com informações de Mônica Bergamo/Folhapress

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.