Preço do GNV aumenta mais de 20% em Salvador

                                                                                   Foto: Reprodução

 

Após algumas baixas no preço, que o tornaram até mais atrativo para os principais usuários, como taxistas e motoristas de aplicativo, o Gás Natural Veicular (GNV) voltou a pesar no bolso dos motoristas que utilizam o combustível na capital baiana. O aumento foi de mais de 20%, se for levado em conta um levantamento de preços feito pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), publicada no último dia 24, e os valores do m³ praticados pelos postos da capital baiana, em pesquisa feita pela equipe da Tribuna da Bahia, no dia de ontem.

Conforme o órgão federal, o preço médio do GNV, nos postos com o produto, em Salvador, o valor médio do combustível era de R$ 2,567, sendo R$ 2,19/m³ o preço mais barato, em dois postos nos bairros do Comércio e de Pirajá. Por outro lado, em três estabelecimentos do gênero foi onde o valor do Gás Natural estava mais caro: R$ 2,79 m³, nas regiões de Brotas, Bonocô e Santa Teresa.

Já nesta segunda-feira, em percurso por localidades da orla e avenidas como Vasco da Gama e Garibaldi, a reportagem observou uma variação de preços em torno de 16%, sendo que o preço mais em conta avistado foi R$ 2,49/m³, em um posto no bairro do Rio Vermelho. Já o mais caro, observado foi em um estabelecimento no bairro da Pituba: R$ 2,99/m³. Outros valores encontrados variavam entre R$ 2,59/m³ e R$ 2,65/m³.

A autorização para o aumento da tarifa do GNV no estado, em 23%, foi dada pela Bahiagás, conforme determinação da Resolução da Agerba (agência estatal que regula o transporte de passageiros na Bahia) nº 48, de 29/10/2020, publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) da última sexta-feira, 30 de outubro. As mudanças já começaram a valer desde o primeiro dia deste mês de novembro.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Donos de Postos de Combustíveis do Estado (Sindicombustíveis Bahia), Walter Tannus Freitas, o aumento do GNV, que geralmente é um combustível mais acessível e muito usado pelos taxistas e motoristas de aplicativo, “está na contramão dos últimos anúncios de redução de preços dos combustíveis pela Petrobras em função do mercado internacional de petróleo”. A organização informou que as alterações no preço dos combustíveis são de responsabilidade de cada revendedor. “O mercado é livre e competitivo, cabendo a cada empresário decidir o valor que irá cobrar. O Sindicato não interfere no mercado e respeita a livre concorrência”, pontua o dirigente.

Mas, entre os usuários, a reclamação por mais esse aumento não foi bem recebida. “Infelizmente, assim como outros aumentos, tivemos mais esse. Ainda assim, acho ainda mais vantajoso usar o GNV do que etanol ou gasolina, que também vem tendo reajustes”, disse Adriano Bispo, motorista por aplicativo. “O kit para instalar também está caro. Hoje só vale mesmo se a pessoa rodar grandes distâncias a trabalho”, comentou o taxista Jorge Teixeira. As informações são do jornal Tribuna da Bahia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.