Neto diz que manterá candidatura solo mesmo se União Brasil lançar Bivar à Presidência

net

Pré-candidato a governador da Bahia, ACM Neto (União Brasil) disse, nesta segunda-feira (2), que manterá sua estratégia de candidatura solo mesmo se o seu partido decidir lançar Luciano Bivar para disputar à Presidência. Ou seja, Neto não irá apoiar Bivar e ficará neutro sobre a eleição presidencial.

“Tenho que ter respeito ao presidente do partido (Luciano Bivar), por ele ser o presidente do partido e por ser companheiro político nosso. Hoje, ele é pré-candidato à Presidência pelo União Brasil. É um nome de valor, qualificado, ele teve a concordância unânime do partido para a apresentação da sua candidatura. Eu sempre deixei claro ao presidente Luciano Bivar, que a minha estratégia na Bahia não mudaria, não sofreria alterações, em função de uma eventual posição nacional do União Brasil. Uma coisa, definitivamente, não tem relação com a outra. Eu respeito o posicionamento nacional do partido, a pré-candidatura de Luciano Bivar, mas isso não tem vinculação direta com a nossa posição na Bahia”, declarou ACM Neto.

Como forma de minimizar o impacto da eleição nacional na Bahia, ACM Neto afirmou também que é o candidato a governador que  “dá mais segurança e conforto para todo o eleitorado baiano”, por justamente não apoiar nenhum candidato a presidente da República.

Para Neto, os seus adversários Jerônimo Rodrigues (PT) e João Roma (PL) só se sentiriam com “conforto” para governar a Bahia, se o ex-presidente Lula (PT) ou o presidente Jair Bolsonaro (PL) ganhasse a eleição presidencial, respectivamente.

“Eu não vou fechar o meu palanque. Eu não vou assumir uma candidatura presidencial. Acho, inclusive, que essa é uma linha que dá mais segurança e conforto para todo o eleitorado baiano. Nós não temos bola de cristal. Não sabemos quem vai ganhar a eleição em outubro deste ano. Se um ganha, significa dizer que todos os outros, obviamente, perderam. Só uma aposta que poderia dar conforto para um governador que assumisse apenas um palanque. No meu caso, por não estar fechado com uma única candidatura a presidente da república, acho que isso oferece o conforto e a segurança que estarei preparado para governar a Bahia com qualquer que seja o presidente escolhido”, disse ele.

Metro 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.