Ministro diz que exército não vai dar golpe, mas alerta: “não estica a corda”

Foto: Reprodução

 

Em entrevista para a Veja, o ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, afirmou que os militares não vão dar um golpe, desde que o outro lado não estique a corda.

De acordo com ele, “´é ultrajante e ofensivo dizer que as Forças Armadas, em particular o Exército, vão dar golpe, que as Forças Armadas vão quebrar o regime democrático. O próprio presidente nunca pregou o golpe. Agora o outro lado tem de entender também o seguinte: não estica a corda”, alertou.

O general explicou o que seria “esticar a corda”: “O Hitler exterminou 6 milhões de judeus. Fora as outras desgraças. Comparar o presidente a Hitler é passar do ponto, e muito. Não contribui com nada para serenar os ânimos. Também não é plausível achar que um julgamento casuístico pode tirar um presidente que foi eleito com 57 milhões de votos. […] Um julgamento do Tribunal Superior Eleitoral que não seja justo. Dizem que havia muitas provas na chapa de Dilma e Temer. Mesmo assim, os ministros consideraram que a chapa era legítima. Não estou questionando a decisão do TSE. Mas, querendo ou não, ela tem viés político”, disse.

Leia a entrevista na íntegra aqui.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.