Indústria baiana se supera e volta a crescer

                                                                                     Foto: Divulgação

 

Mesmo toda a adversidade provocada pelos efeitos do coronavírus nos habituais padrões de sociabilidade, a indústria brasileira vem superando os obstáculos, ao obter crescimento, pelo segundo mês consecutivo,

Enquanto o número de óbitos e infectados crescia no país, a indústria aumentava 9,3% no faturamento real, 8,8% na massa salarial 8,1% no rendimento médio do trabalhador, isso tudo contabilizando 6,6 horas trabalhadas na produção.

Os indicadores mostram a evolução de curto prazo da atividade industrial, mais especificamente da indústria de transformação, nos estados onde se alcança um índice de 90% do produto industrial brasileiro.

Balanço no vermelho No entanto, apesar de todo esforço, o balanço do primeiro semestre terminou mesmo vermelho, coloração símbolo do tombo de abril, quando o auge do isolamento social pela Covid-19 espantou a demanda e o lucro emagreceu.

Entre os meses de janeiro a junho, o faturamento real encolheu 7,1% na comparação com o primeiro semestre de 2019, e a renda média caiu 3,5%. As horas trabalhadas foram 9,1% menor. E o emprego caiu 2,4%.

– A retomada da atividade em maio e junho foram significativas. Mas ainda não temos todos os elementos para afirmar que a indústria seguirá nesse ritmo nos próximos meses, disse o gerente de Análise Econômica da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Marcelo Azevedo

A prudência recomenda aguardar o resultado de julho para consolidar a heroica tendência, coincidente à expansão da Covid, mas já antevendo, em projeções, o tão sonhado período pós-pandemia.

Assistência a produtores

Até o final do ano, 600 propriedades do Oeste do estado terão assistência técnica e gerencial gratuita, de acordo com planejamento de gestão integrada no bioma Cerrado, chamado pelos técnicos do governo federal, de Projeto FIP Paisagens Rurais. Os primeiros municípios a serem visitados são Baianópolis, Brejolândia, Cristópolis, Muquém de São Francisco, Serra Dourada, Sítio do Mato, Tabocas do Brejo Velho e Wanderley. Na primeira fase, a equipe de trabalho percorrerá 120 propriedades dando início ao projeto de adoção de tecnologias da agricultura de baixa emissão de carbono. O objetivo é aumentar a produtividade, mas há também a intenção de indicar ações para facilitar a recuperação e regularização ambiental de Áreas de Preservação Permanentes (APP) e de Reserva Legal (RL).

UPB debate cultura

Na próxima segunda-feira, às 15h, a União dos Municípios da Bahia (UPB) em parceria com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) promove evento online com Orientações sobre a Lei Aldir Blanc de Incentivo à Cultura. O encontro será realizado através da Plataforma Digital Zoom, pelo link zoom.us/j/93576124232 – não há necessidade de inscrição. As informações são do jornal A Tarde.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.