Gleisi aponta importância de alianças regionais com partidos aliados de Bolsonaro

Foto: Reprodução

 

 

Presente na visita do ex-presidente Lula à policlínica de Narandiba na manhã desta quinta-feira, 26, a presidente do PT nacional Gleisi Hoffmann ressaltou a importância da comitiva pelo Nordeste para o fortalecimento de diretrizes com lideranças regionais em prol de uma candidatura de Lula ao Planalto nas eleições de 2022.

“Primeiro, eu quero dizer que são sempre grandiosas e calorosas as recepções aqui na Bahia. O povo baiano gosta muito do presidente Lula e a gente fica muito feliz por isso. Nós viemos nessa viagem não para tratar da eleição e nem composição de chapas. Viemos nessa viagem pra conversar com muita gente, com lideranças políticas, com lideranças sociais, sindicais, para que a gente possa agregar um movimento pra salvar o Brasil da catástrofe que nós estamos vivendo com Bolsonaro e isso tem sido positivo. Aqui na Bahia ontem a gente já conversou com várias lideranças, mais tarde temos reunião com o presidente de vários partidos e obviamente que 2022 vai ser um sucesso e consequência desse movimento de agora”, pontuou.

Gleisi falou ainda da importância da formulação de alianças regionais com partidos que apoiam a gestão do presidente Bolsonaro em nível nacional, e afirmou que essas alianças serão vitais para a construção nacional de forças políticas para o pleito presidencial.

“Acho que no Nordeste a situação caminha muito pra alianças regionais com o PP, mesmo com o PSD, o MDB, esses partidos todos não tem uma linha nacional definida. Embora o PP esteja apoiando o governo Bolsonaro, com Ciro Nogueira na chefia da Casa Civil e o presidente da Câmara, Arthur Lira, seja aliado, a gente vê que o movimento do PP aqui na Bahia é junto com o Rui. E vemos isso também em alguns outros estados de aproximação com blocos de partidos e forças que pensam diferentes. Então eu acho que essas construções regionais vão ajudar muito inclusive em uma construção nacional de forças políticas. Não estou dizendo nem pro primeiro turno, mas falando da possibilidade de alianças lá na frente pra um possível segundo turno da eleição”, disse.

As informações são do A tarde

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.