Bolsonaro fica desgastado entre evangélicos por demora em demitir o ministro da Educação

bolsonaro

Jair Bolsonaro ficou desgastado entre líderes evangélicos com a demora em demitir o ministro da Educação, Milton Ribeiro, que apresentou pedido de exoneração do cargo na segunda (28). Parlamentares ligados à bancada religiosa que sempre o defenderam se queixam de que o presidente os deixou ‘apanhar’ sozinhos nas redes sociais por causa do escândalo que envolveu pastores e o ministro na distribuição de verbas da educação para prefeituras.

Segundo eles, enquanto pastores e líderes evangélicos eram criticados em imagens e memes que os conectavam com dinheiro e interesses escusos, os bolsonaristas de outras bancadas eram poupados –inclusive os filhos do presidente, Eduardo e Flávio Bolsonaro, que saíram em defesa do então ministro.

Além disso, os parlamentares começaram a ser cobrados por não conseguir a liberação de recursos no Ministério da Educação –enquanto os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura tinham livre trânsito na pasta e consequente sucesso na obtenção de dinheiro para os municípios.

Mônica Bergamo/Folhapress

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.