Augusto Vasconcelos comemora rejeição da MP 1045

Foto: Reginaldo Ipê

 

 

O vereador Augusto Vasconcelos (PCdoB) comemora o que chama de “vitória para a classe trabalhadora”. Em votação realizada no dia 1º, o Senado Federal rejeitou a Medida Provisória 1045. Foram 47 votos contrários e 27 a favor da MP. O vereador e ouvidor-geral da Câmara Municipal de Salvador comemorou o resultado.

“A MP 1045 representa um retrocesso trabalhista e essa é uma vitória do movimento sindical, da luta popular e do conjunto de pessoas que se envolveram no mundo do direito do trabalho para que nós pudéssemos salvar os direitos que ainda restam para a classe trabalhadora no país”, pontou.

O vereador reforça que, se fosse aprovada, a MP nº 1045 imporia uma nova reforma trabalhista com a extinção de diversos direitos. Segundo Vasconcelos, “editada pelo Governo Federal para reduzir ou suspender o pagamento de salários, com a justificativa de criar empregos, na Câmara, por orientação do governo, a MP recebeu mais de 70 emendas de contrabando, criando programas que, no final, acabavam com o 13º salário, o direito a férias remuneradas, entre outras medidas perversas e de ataques a direitos conquistados pela classe trabalhadora”.

Jornadas inferiores a 8 horas, como os bancários, por exemplo, também seriam extintas, como cita o vereador, destacando eu a não aprovação da MP 1045 foi uma grande derrota para o governo federal.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.