Alckmin promete lealdade: “Lula é prato que cai bem com chuchu”

alckmin

No dia do lançamento da pré-candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à presidência da República, o vice da chapa, Geraldo Alckmin (PSB), não pôde estar no evento por estar infectado com a covid-19, mas discursou em vídeo transmitido no evento, que aconteceu em São Paulo e teve exibição pública no Largo de Santana, no Rio Vermelho.

Ex-adversário político do petista, Alckmin prometeu lealdade à chapa e até brincou com um apelido que recebeu por volta dos anos 2000, “picolé de chuchu”. “Lula é um prato que cai bem com chuchu”, argumentou o ex-tucano.

Até pouco tempo no PSDB, Alckmin rechaça a ideia de que podem existir outras alternativas eleitorais melhores do que a que representa a sua chapa. “Sem Lula, não haverá alternância de poder no país. Lula é a esperança que resta ao Brasil. Não é a primeira, a segunda ou terceira, é a única via de esperança para o Brasil”.

Recém-filiado ao PSB, o ex-governador de São Paulo alega que o que está em jogo, na sua opinião, é a defesa da democracia. “Nenhuma divergência do passado, nenhuma diferença do presente, nada, absolutamente nada, servirá de razão, desculpa ou pretexto para que eu deixe de apoiar e defender, com todo a minha convicção, a volta de Lula à presidência do Brasil”. Alckmin também saudou representantes de todos os partidos que compõem a aliança com a chapa. “Números diferentes, quando somados, não diminuem de valor. Aumentam sua grandeza. E quando essa defesa [da democracia] pede alianças, e não à cooptação por verbas ou aliciamento por cargos políticos, isso se torna uma formidável”, completou Alckmin.

A Tarde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.