ACM Neto propõe auxílio de três salários mínimos para vítimas de enchentes

neto

O pré-candidato ao governo ACM Neto sugeriu a criação de um auxílio para as famílias atingidas pelas fortes chuvas nos últimos dias nas regiões do Sul e Sudoeste da Bahia. Os temporais destruíram casas, provocaram alagamentos e deixaram milhares de pessoas desabrigadas nos municípios das regiões. Neto ainda defendeu que haja um compromisso de reconstrução das cidades que foram afetadas e da vida dessas famílias.

Neto lembrou que, como prefeito de Salvador, viveu na pele questões provocadas pelas chuvas e que criou um auxílio de até três salários mínimos para vítimas dos desastres. “É preciso inclusive pensar na possibilidade de um auxílio, como nós fizemos em Salvador na época da prefeitura. Nós estabelecemos um auxílio de três salários mínimos. Então, quando a água invade uma casa, que as pessoas perdem tudo, a prefeitura paga até três salários mínimos para que aquela pessoa possa recomeçar a sua vida. Portanto, nesse momento é fundamental que todas as autoridades possam dar as mãos para ajudar essas pessoas”, disse.

“É fundamental ter solidariedade, proximidade, união de todas as autoridades, de todo o poder público, para chegar junto, para dar toda assistência a essas famílias, assegurando que elas possam estar seguras, que possam ter as suas vidas preservadas. Essa tem que ser a primeira providência. E, é claro, num segundo momento, todos juntos levarem uma perspectiva de reconstrução, de uma palavra de espera porque muitas dessas famílias depois não vão ter pra onde voltar. Perderam a sua casa, perderam tudo que tinham”, acrescentou.

Neto ainda ressaltou que muitas cidades tiveram sua infraestrutura danificada e muitas pessoas perderam suas casas. “Que haja um compromisso de reconstrução tanto de reconstrução das cidades que foram afetadas, que tiveram a sua infraestrutura danificada, como de reconstrução da vida dessas famílias. Elas vão precisar do apoio do poder para recomeçar”, pontuou.

O ex-prefeito da capital ainda destacou a rede de solidariedade que se formou no país. “Personalidade, artistas, lideranças políticas e o cidadão comum. Todos extremamente sensibilizados, com o coração mobilizado para ajudar quem mais precisa e realmente agora cada um pode fazer um pouquinho e esse pouquinho pode significar muito. Então é fundamental que essa rede de solidariedade continue toda ela ativa e mobilizada porque essas famílias ainda vão precisar de muita ajuda e que todo cidadão que está passando por isso, todas as pessoas que estão sofrendo agora, possam se sentir amparadas e apoiadas”, salientou. (Política Livre)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.