ACM Neto diz que não tem obrigação de “dar palanque” a nenhum presidenciável

neto

Em sabatina realizada pelo UOL/Folha de São Paulo, na manhã desta quarta-feira (25), o pré-candidato ao governo da Bahia, ACM Neto (União Brasil), voltou a dizer que não é obrigado a dar palanque a nenhum dos candidatos a presidente da República. “Eu não vou estar em nenhum palanque, não posso estar em nenhum palanque”, disse Neto.

O ex-prefeito de Salvador afirmou: “Não tenho obrigação de dar palanque a ninguém”. Ele disse que deve respeitar a posição dos partidos que o apoiam na Bahia, inclusive admitindo que estas siglas deem palanques a candidatos distintos. Neto citou que o Solidariedade fará campanha para Lula e para ele e que o PP, que apoia Jair Bolsonaro (PP) nacionalmente, pode apoiar a reeleição do presidente e a eleição dele.

Questionado se subiria em palanques diferentes durante a campanha, rechaçou a hipótese. “Seria incoerente da minha parte estar no mesmo palanque de Lula, Bolsonaro, Ciro, Bivar. Essa hipótese não existe”, declarou o pré-candidato, que também se absteve de dizer se, no cenário de polarização, apoiaria Lula ou Bolsonaro. Neto também afirmou, ao ser questionado sobre apoio a Ciro Gomes, que respeita a trajetória política do pedetista, mas que, da mesma forma, não é obrigado a apoiá-lo.

O ex-prefeito de Salvador voltou a apontar que há uma indefinição sobre consolidação de um nome de consenso da chamada terceira via. “Se vai haver união ou candidatura de consenso nesse campo, eu não sei”, disse Neto. Ele, entretanto, apontou que o cenário pode mudar a exemplo do que ocorreu nas eleições presidenciais de 2014 e de 2018, quando citou fatos como a morte de Eduardo Campos e a facada em Bolsonaro que, respectivamente, proporcionaram uma disputa apertada entre Aécio Neves e Dilma e a vitória de Bolsonaro no último pleito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.