Sistema de Saúde está duplamente pressionado e casos de covid avançam

                                                                               Foto: Romildo de Jesus

 

Desde 17 novembro mais de 1300 casos de covid 19 foram registrados na Bahia. Isso constata uma media alta com números, que remontam ao inicio da pandemia. A flexibilização das medidas de proteção contra o Coronavírus, aliada as ações em prol das eleições como carreatas e passeatas aceleraram os casos. A situação é de alerta geral e os órgãos públicos já estão remobilizando as Utis especialmente para a doença. De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado (SESAB) o sistema esta duplamente pressionado.

Segundo o secretário de saúde da Bahia, Fábio Villas Boas, “ a situação já estava sendo visualizada há duas semanas. Está fora de controle em todo país. Carreatas e festas além de comemorações pré e pós eleitorais alavancaram o crescimento da doença . Temos aumentos sucessivos dos números de casos ativos, notificados, e de testagem realizadas pelo laboratório central do Estado o que significa, que pode ocorrer também elevação da taxa de mortalidade já nas próximas semanas. Para matar o vírus pode levar até um mês de internamento.”

Para Villas Boas, essa constatação “reforça o compromisso e responsabilidade dos gestores reeleitos e eleitos, em plena pandemia. Não acabou existe a retomada e elevação do número de casos em todas as regiões de forma mais grave que no começo da doença. Hoje estamos realizando em todo o Brasil cirurgias tradicionais, os acidentes com carros aumentaram, porque voltaram a rodar. O sistema hospitalar está duplamente pressionado. A volta a normalidade deixou o sistema mais pressionado, que no inicio do ano, quando os hospitais na capital e interior estavam preparados para atender maciçamente as UTIs Covid .”

A Assessoria de comunicação da SESAB pediu para que a imprensa reforce a importância de manter o distanciamento social, higiene frequente das mãos e uso de máscara.

As medidas que estão sendo tomadas para essa nova onda da doença pela Sesab são : a reabertura de leitos e qualificação da entrada dos pacientes em UTI. O sistema de testagens será reforçado e os testes com cotonetes, que o resultado sai na hora também vai ser solicitado ao governo federal. Aos chefes de Utis está sendo solicitado mais velocidade nas altas .

De acordo com a Sesab até o fechamento desta matéria, a taxa de crescimento no número de casos foi de +0,7% e de recuperados +0,5% (1.952). O boletim epidemiológico ainda contabiliza 20 óbitos que ocorreram em datas diferentes. O número total de mortes desde o início da pandemia é 8.247, o que representa uma letalidade de 2,05%.

Todas as cidades do estado registram casos da doença. A maior proporção ocorre em Salvador (24,66%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Ibirataia (9.319,49), Itabuna (6.900,29), Aiquara (6.882,59), Madre de Deus (6.826,91), Almadina (6.789,90).

Dos 1855 leitos disponíveis do Sistema Único de Saúde (SUS), exclusivos para atender pacientes com o novo coronavírus na Bahia, 1031 estão com pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação de 56%. Dos 831 leitos de UTI (adulto) disponíveis no estado, 540 estão ocupados, o que corresponde a 65%.

Em Salvador, de acordo com a Sesab, dos 777 leitos ativos, 505 estão ocupados, o que corresponde a uma taxa de ocupação geral de 65%. Os leitos de UTI adulto estão com 61% de ocupação. Já o de UTI pediátrica, 67% de ocupação. Com relação aos leitos de enfermaria, a capital baiana tem taxa de ocupação de 70% (adulto) e 59% (pediátrico).

Para o especialista André Labreiro, “O salto está ocorrendo, porque, as pessoas vão a festas, encontros, jantares sem os devidos cuidados: usando máscaras e ficando a distância segura umas das outras. Caso o aumento se espalhe pela população menos favorecida, hospitais públicos podem enfrentar problemas mais sérios do que no auge da pandemia.”

Outro alerta do especialista é que “as medidas de prevenção são eficazes se associadas e realizadas por todos, portanto, tem que ser visto como um problema da comunidade. Uma pessoa no seu ambiente que não realize todas as medidas pode comprometer a segurança de todas as outras. As infecções continuam acontecendo, pois ainda existem muitas pessoas suscetíveis, somado ao fato que a imunidade pode ser transitória após a doença e ainda há a possibilidade de mutação viral.”

A prefeitura de Salvador está remobilizando leitos exclusivos para covid-19 e enviando para a Câmara um projeto de lei que permita a reativação dos leitos para que a taxa de ocupação máxima permaneça em 60%. A atual taxa é de 65%. As testagens para covid-19 voltaram a ser feitas nos bairros de Salvador, como estratégia de prevenção e controle da covid-19. As informações são do jornal Tribuna da Bahia.

Faça seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *