Rui Costa diz que pulverização prejudica oposição a Bolsonaro

                                                                              Foto: Alberto Coutinho / GOVBA

 

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse ontem que a pulverização da oposição tem prejudicado os adversários de Jair Bolsonaro (sem partido). O petista baiano voltou a defender a fusão entre PT, PSB e PCdoB para ter uma postura mais firme contra o presidente da República. Assim como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Rui reclamou de “boicote da grande mídia” contra os oposicionistas.

“Hoje, infelizmente, a oposição está atuando de forma muito pulverizada. Ao se fragmentar e se pulverizar, você passa essa sensação de fragilidade. É por isso que estamos conversando, eu e outros governadores e outras lideranças, vamos iniciar um movimento mais enfático de propor uma aglutinação daqueles que querem o bem do Brasil e aqueles que querem construir uma nação a todos os brasileiros, sem ódio e de inclusão social. Que tenha como prioridade combater as desigualdades e trazer justiça fiscal, com um país que prioriza educação, saúde pública e, se for o caso, defender inclusive fusão de partidos”, declarou, em entrevista à rádio Metrópole. “Quando se pulveriza demais, você se apresenta frágil. Quando você se apresenta unido, se apresenta mais forte. Nós temos que corrigir um problema nosso também e acho que nós devemos colocar vaidade pessoal de cada partido de lado e cuidar do Brasil antes que eles acabem de destruir o nosso país. No ritmo que vai, a situação está muito complicada. Nenhum país do mundo consegue se desenvolver se isolando e se desmoralizando no mundo inteiro como o Brasil está desmoralizado”, emendou.

Para Rui, a fusão do PT, PSB e PCdoB faria com a que a oposição passasse a “ter voz”. “Se você funde o PT com PSB e eventualmente PCdoB, tem um partido com mais de 100 deputados na Câmara dos Deputados. Portanto, passaria a ter peso na articulação política e na votação, passaria a ter voz. Seria impossível qualquer veículo de imprensa sonegar e ouvir esse grande bloco de partido ou esse grande novo partido. É preciso diminuir a pulverização”, pontuou. Em setembro, Rui já tinha defendido a fusão das siglas, e cutucou o ex-ministro Ciro Gomes (PDT). “As propostas desses partidos não são tão diferentes e essa fusão poderia gerar o maior partido do Brasil”, defendeu, em entrevista ao Jornal da Fórum. “O que não dá é pra um ir pra Paris e outro para o Chile, depois….”, acrescentou.

Ainda na entrevista, Rui comentou a declaração de Lula sobre divulgar a Bahia para fora do estado. “O Nordeste hoje tem muitos talentos. Nós temos gestões exitosas. Além da Bahia, temos o Ceará, Piauí. Nós temos bons exemplos. Mas não é fácil as boas práticas do Nordeste ganharem visibilidade nacional. Nós temos buscado sim apresentar no Brasil as boas práticas, as boas experiências. Agora, nem sempre as nossas opiniões coincidem com as da turma do Sudeste ou de São Paulo. Aí que o bicho pega”, afirmou. As informações são do jornal Tribuna da Bahia.

 

Faça seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *