Ford: Montadoras demonstram interesse em Camaçari e Neto aponta perda de relevância econômica

                                                                                          Foto: Reprodução                                                                                 

 

 

Conforme está sendo amplamente noticiado sobre a saída da Ford na Bahia, o governo do Estado já está buscando interessados na fábrica norte americana em Camaçari, que fechou com as unidades de Taubaté-SP e Horizonte-CE, embora esta última feche as portas de fato apenas no quarto trimestre.

Mas, de acordo com a CNN Brasil, já existem quatro montadoras chinesas interessadas na planta de automóveis e motores da Ford, sendo elas Great Wall Motors, Changan Auto, Geely e GAC.

O site ainda informa que o empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade, o CAOA, estaria por trás de uma delas. Pelo que se sabe anteriormente, a Changan esteve envolvida com o empresário brasileiro no negócio relacionado com a fábrica de Taboão, no ABC paulista, que acabou sendo vendida para um grupo imobiliário.

Todos os fabricantes acima possuem interesses internacionais, sendo que a Great Wall Motors pode estar tentando entrar definitivamente no Brasil pela terceira vez. Na primeira, em 2008, chegou a exibir alguns carros por aqui, mas a operação não deu certo. Depois, queria se instalar em São Paulo e teve até site nacional, mas sem êxito.

A Changan Auto tem ligação com a Ford, sendo ela a responsável indiretamente pela produção do Territory, embora também o seja em relação à Peugeot Landtrek.

O fabricante já atua no mercado latino-americano e também tentou entrar no Brasil, por meio do extinto grupo Districar. A marca chinesa tem produtos bem competitivos nos países vizinhos e pode ser um player importante aqui.

Já a Geely avança a passos largos no mercado internacional, sendo dona da Volvo, assim como da Lotus. Aqui, seria interessante entrar com a marca Lynk & Co, com uma nova proposta de comercialização de carros por assinatura e também sem uma rede de revendedores, com entrega e serviços contratados online.

Por fim, a GAC (Guangzhou Auto) tem parcerias com vários fabricantes na China, mas atualmente a marca se destaca pela gama de carros elétricos de design atraente, como os modelos da Aion.

Após 20 anos de atividades na Bahia, a fábrica da Ford, sediada no município de Camaçari anunciou na segunda-feira, 11, o encerramento imediato das atividades de produção.

Além de Camaçari, a empresa de veículos automotores informou que encerrará a produção nas plantas de Taubaté (SP) e da Troller (Horizonte, CE) durante 2021. “À medida em que a pandemia de Covid-19 amplia a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas”.

A empresa informou que manterá no Brasil a sede administrativa da América do Sul, o Centro de Desenvolvimento, de Produto, que fica na Bahia, e o Campo de Provas. O fim das atividades da Ford Motor Company no país é parte do processo de reestruturação da empresa na América Latina, que passará a produzir veículos na Argentina e no Uruguai, importando-os para o Brasil.

O ex-prefeito ACM Neto (DEM) comentou a decisão da Ford de encerrar sua fabricação no Brasil e fechar sua unidade de Camaçari. “Quando a gente olha o histórico nos últimos anos, a Bahia tem perdido relevância econômica comparado com outros estados”, afirmou.

“Não estou querendo politizar o debate, porque eu sou do tipo de político que acha que quando uma iniciativa merece elogio, independemente do partido, tem que ser elogiado. Quando merece crítica, tem que ser criticado. Outros estados do Brasil e do próprio Nordeste acabaram crescendo mais que a Bahia, sobretudo no setor industrial”, enfatizou o ex-prefeito de Salvador. (A Tarde)

Faça seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *