Expectativa é que Carnaval de Salvador movimente R$ 1,8 bi em 2020

                                                                                  Foto: Reprodução

 

O presidente da Empresa Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington, afirmou, em entrevista ao Programa Isso é Bahia, da Rádio A TARDE FM, na manhã desta quinta-feira, 13, que a previsão – com base em estudos – é que o Carnaval soteropolitano movimente em torno de R$ 1,8 bilhão em 2020.

“Estima-se que a economia do Carnaval neste período gire em torno de R$ 1,8 bilhão, quando você fala em tudo: ISS (Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza), ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), bares, restaurantes e hotelaria”, explicou.

A festa contará com mais 5 mil horas, cerca de 700 atrações e 3,5 mil técnicos envolvidos.  Além dos circuitos tradicionais, a programação do Carnaval deste ano contará com o Espaço Mix, no bairro do Rio Vermelho; e o Palco Origens, no Centro Histórico.

‘Salvador vive da indústria criativa’

Às vésperas da maior festa de rua do planeta, o gestor ressaltou os ganhos da cidade com novos empreendimentos, mas enfatizou a importância do entretenimento para a economia local. “Salvador vive do entretenimento, da música, da gastronomia, Salvador vive da indústria criativa e isso alimenta todo o sistema”, frisou.

Pré-Carnaval

Neste final de semana, Salvador terá o principal esquente para o Carnaval 2020, com a realização do Fuzuê, no sábado, 16, e o Furdunço, domingo, 17. Os eventos que antecedem a festa momesca foram incorporados à agenda festiva da cidade pela atual gestão municipal.

Durante o programa, Isaac falou da importância do pré-Carnaval como vetor de atração turística e engajamento do soteropolitanos. “O Fuzuê, especificamente, eu tenho muito apreço pelo signigicado dele, que tem um efeito muito positivo de começar a incentivar o folião do futuro, porque as famílias participam, tem carrinho de bebê, tem bebê de colo, pessoas fantasiadas e isso tem sido muito prazeroso”, disse, salientando que a “iniciativa está retroalimentando o Carnaval”. “A gente aprende Carnaval quando criança”, completou. As informações são do jornal A Tarde.

Faça seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *