“Chegarei no dia primeiro de janeiro sabendo o que fazer para Salvador não parar um só segundo”

                                                                             Foto: Divulgação/Ascom

 

Eleito prefeito de Salvador ainda no primeiro turno, tendo mais de 64% dos votos válidos – melhor desempenho entre os postulantes nas capitais do país – Bruno Reis assume o posto no próximo dia 1º de janeiro de 2021, com diversos desafios pela frente. Um deles é manter o nível da gestão de ACM Neto, uma das mais bem avaliadas do país. Em entrevista à Tribuna da Bahia, Bruno fez uma avaliação sobre os principais obstáculos a serem enfrentados a partir do próximo ano, relevantes propostas para desenvolver ainda mais cidade e sobre quais questões tem mais se debruçado, além de ponderar acerca os trabalhos feitos pelo antecessor dele, ACM Neto, nos últimos oito anos – parte deles os quais teve participação direta de Bruno em diversas secretarias, além de ter sido o vice-prefeito da capital baiana.

Tribuna da Bahia – Quais, em sua opinião, serão seus principais desafios à frente da Prefeitura de Salvador? E que maneiras você pretende encontrar para superá-los?

Bruno Reis – A nossa gestão vai priorizar as políticas de estímulo à economia para avançar no combate às desigualdades históricas de Salvador, gerando emprego e renda, garantindo assim o sustento das famílias da nossa cidade. Vamos fazer inclusão social através do trabalho e da educação. Também precisaremos superar os desafios nas áreas do transporte público e da educação. Seguiremos em frente com o processo de transformação da capital baiana, oferecendo mais qualidade de vida e dignidade às pessoas, aperfeiçoando sempre a oferta dos serviços públicos essenciais. Coloco a serviço de Salvador a minha capacidade de trabalho e toda a experiência que acumulei ao longo de mais de 20 anos de vida pública. No processo de retomada das atividades econômicas, estabelecemos um conjunto de medidas, com 101 ações, entre redução do valor de alguns tributos municipais e isenção de multas e juros. Anunciamos investimentos da ordem de R$ 1 bilhão em obras públicas, assim como mais R$ 6 bilhões da iniciativa privada, para criar cerca de 50 mil empregos em Salvador. Vamos seguir com essa política de incentivos e estímulos fiscais, principalmente para os setores mais afetados, mas também para outras áreas estratégicas que vamos desenvolver. Além de oferecer segurança jurídica, com o novo PDDU, LOUOS e código de obras, vamos facilitar a vida de quem quer investir e criar oportunidades em Salvador, com uma Prefeitura toda online. Temos ainda como desafio o déficit habitacional. Investimos muito em empreendimentos de moradia popular nos últimos anos, a exemplo do conjunto Guerreira Zeferina e da Vila Barro Branco. Mas vamos avançar bastante nessa área, investindo também em iniciativas para melhorar continuamente a infraestrutura nos bairros e a mobilidade.

TB – Quais são as suas principais propostas para desenvolver ainda mais a cidade?

BR – Para reaquecer a economia e gerar ainda mais emprego e renda, serão mantidos os investimentos em obras públicas e projetos de infraestrutura urbana, como a requalificação da Bacia do Mané Dendê, no Subúrbio Ferroviário. Vamos melhorar ainda mais o ambiente de negócios, com a simplificação dos processos de licenciamento e de abertura de empresas. Avançaremos na política de incentivos fiscais, atraindo novos empreendimentos, contribuindo para que a iniciativa privada se sinta estimulada a continuar investindo na nossa cidade. Vamos fazer o Centro de Inovação no Subúrbio, promoveremos o empreendedorismo, facilitaremos o acesso ao microcrédito e ofertaremos ainda mais programas de capacitação de mão de obra e qualificação profissional. Vamos avançar na melhoria da oferta dos serviços públicos essenciais. Na saúde, a atenção básica será universalizada, com cobertura de 70%. Vamos implantar mais 132 equipes de Saúde da Família. Dessa forma, como em Salvador a taxa de dependência do SUS é de 72%, alcançaremos a cobertura de 100% em grande número de bairros populares. Construiremos ainda a primeira maternidade municipal e a Clínica da Dor. Na educação, vamos aumentar muito as vagas em creches, para chegar a 55% da taxa de escolarização nessa etapa de ensino, ampliando ainda o índice de atendimento em tempo integral, que deve chegar a 70% na Educação Infantil e 25% no Ensino Fundamental.

TB – No que você tem se debruçado mais, o que mais te chama a atenção dentro do que já foi feito e pode ser aprimorado?

BR – É inegável: Salvador está em um patamar muito mais elevado do que há oito anos. Abandonamos as piores posições em diversas áreas importantes, como a educação e saúde, para liderar os rankings de avaliação de desempenho, com avanços que nos deram destaque nacional. Mas, hoje, por tudo o que foi feito, podemos sonhar mais alto para ter conquistas ainda mais audaciosas. Salvador conseguiu se desenvolver muito na área de inovação. Mas podemos ir mais longe. Temos uma base de dados de todos os programas desenvolvidos pela atual gestão, permitindo a definição de políticas públicas específicas, a exemplo do que propõe o Vida Nova, que integra o meu plano de governo, para emancipar a população mais pobre de Salvador. O Vida Nova vai permitir a progressão social dessas famílias mais vulneráveis, melhorando as condições de trabalho e possibilitando o aumento da renda dessa parcela da sociedade, com ações também nas áreas de saúde, educação, promoção social, habitação e reparação.

TB – Qual a avaliação que você faz dos últimos oito anos da gestão do prefeito ACM Neto – parte deles os quais você fez parte?

BR – Eu tenho muito orgulho do trabalho que fizemos até aqui. Além das pesquisas que colocam a nossa administração como a mais bem avaliada do país, o resultado eleitoral deixou claro o reconhecimento da população por tudo o que conquistamos juntos. A Salvador de hoje é muito melhor do que a de ontem. Mas a Salvador de amanhã será ainda melhor do que a de agora. Podem ter certeza de que eu irei manter todos os projetos que estão dando certo. Mas avançar é preciso. Hoje, podemos tirar do papel sonhos históricos. Com esse sentimento, coloquei o meu nome à disposição da nossa amada capital para ajudar a população a melhorar de vida, especialmente a parcela mais vulnerável, para a qual destinamos 80% dos recursos municipais. A nossa cidade passou por uma transformação extraordinária nos últimos anos. Sei que fui eleito para garantir que essas conquistas estejam asseguradas. E realizarei o trabalho da minha vida à frente da Prefeitura, fazendo a capital baiana se desenvolver economicamente e avançar ainda mais em todas as áreas. De uma coisa a nossa cidade pode ter certeza: chegarei no dia primeiro de janeiro sabendo o que fazer para Salvador não parar um só segundo. As informações são do jornal Tribuna da Bahia.

Faça seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *