ACM Neto retorna a Salvador e enfrentará pautas impopulares

                                                                                  Foto: Reprodução

 

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), retorna hoje à capital baiana e terá que enfrentar pautas impopulares. O democrata viajou na semana passada para o exterior a fim de descansar com a família. Agora, na volta à cidade, o gestor soteropolitano tem, pelo menos, dois temas espinhosos para administrar. O primeiro é a reforma da Previdência municipal, quem tem déficit atuarial de cerca R$ 7 bilhões, segundo a administração soteropolitana.

Os vereadores de Salvador estão divididos sobre o impacto que a reforma da Previdência pode ter na reeleição deles. Aos aliados, o presidente da Câmara, Geraldo Júnior (SD), afirmou que a votação da proposta antes do pleito pode prejudicar os legisladores. O vereador Alexandre Aleluia (DEM) diz não temer e mostrou interesse em ser o relator da proposta. “Se nenhum vereador quiser, eu terei que evocar para mim”, pontuou o democrata, que é presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final (CCJ) da Casa.

O vereador Duda Sanches (DEM) disse que é preciso ter cautela porque o assunto é impopular. Ressaltou, porém, que os servidores são ligados a partidos de oposição, como PCdoB e PT, e logo a votação não teria tanto impacto para os legisladores da base governista. O texto que será encaminhado pela prefeitura ao Legislativo ainda não está batido martelo, mas um trecho está definido. ACM Neto vai propor aumentar a alíquota previdenciária dos servidores municipais de 11% para 14%. No final de 2018, o governador Rui Costa (PT) também aumentou a contribuição previdenciária dos funcionários estaduais para 14%.

Outro tema espinhoso que o prefeito terá que resolver na volta a Salvador é o reajuste da tarifa de ônibus. As concessionárias do transporte querem aumentar a passagem com o argumento de que é preciso equilibrar as contas. No ano passado, Neto concedeu o reajuste no início de abril de R$ 3,70 para R$ 4. Na época, condicionou o aumento à renovação da frota, com ônibus com ar-condicionado. Em meio às discussões administrativas, a expectativa é também que o prefeito democrata articule a montagem da chapa de Bruno Reis (DEM) ao Palácio Thomé de Souza. O vice-prefeito foi lançado na semana passada como pré-candidato, mas ainda não definiu o integrante da majoritária. Neto também terá que articular a eleição para vereadores. Muitos legisladores pretendem deixar os seus partidos para facilitar as chances de se reelegerem. As informações são do jornal Tribuna da Bahia.

Faça seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *